por
Lingopass
15.12.2023

A transformação do Varejo com Machine Learning e o papel fundamental do inglês na equipe

O Machine Learning, que pode ser traduzido como aprendizado de máquina ou aprendizagem de máquina, está revolucionando o cenário do varejo, proporcionando insights valiosos, simplificando operações e aprimorando as experiências dos clientes.  

De vendas online a lojas físicas, os sistemas do Machine Learning são cada vez mais adotados para analisar grandes conjuntos de dados, identificar padrões e oferecer uma compreensão mais profunda do setor de varejo como um todo.  

Grandes players, como Amazon, eBay e Alibaba, têm integrado eficientemente essa tecnologia em todas as fases do ciclo de vendas, alterando fundamentalmente a forma como os varejistas conduzem seus negócios.  

A crescente relevância do Machine Learning no varejo é evidenciada pela previsão de uma expansão significativa do mercado global de IA no setor. Consequentemente, a tecnologia inovadora está se tornando uma parte indispensável do ambiente varejista, capacitando as empresas a utilizar dados para decisões estratégicas, prever comportamentos e agregar valor aos clientes.

Como o Machine Learning opera no varejo

Ao explorar conjuntos de dados, os algoritmos do Machine Learning identificam padrões e oferecem previsões, concedendo aos varejistas percepções valiosas para fundamentar suas decisões estratégicas.

Utilizando dados do cliente, como histórico e tendências de compra, bem como interações em plataformas de redes sociais, esses algoritmos antecipam comportamentos futuros, permitindo a criação de campanhas de marketing altamente personalizadas.

À medida que esses sistemas processam uma quantidade crescente de dados, descobrem novas correlações, refinando constantemente sua compreensão sobre a rotatividade de clientes e o panorama do negócio. Essa evolução contínua é fundamental para decisões mais esclarecidas e para o desenvolvimento de estratégias mais eficazes em um ambiente varejista em constante mutação. 

Confira alguns benefícios para o setor de varejo:

1. Precificação dinâmica e estratégias de descontos: O Machine Learning permite uma adaptação dinâmica da precificação, levando em consideração variáveis como demanda, sazonalidade e comportamento do concorrente. Além disso, a análise preditiva pode identificar padrões de compra, possibilitando a aplicação estratégica de descontos personalizados. Essa flexibilidade na precificação maximiza a margem de lucro e atrai consumidores sensíveis a preços.

2. Estoque inteligente e gestão de cadeia de suprimentos: Evitar estoques excessivos ou insuficientes é um desafio constante no varejo. O Machine Learning otimiza a gestão de estoque, prevendo a demanda futura com base em dados históricos e tendências de mercado. Isso reduz custos associados a excesso de estoque e evita perdas de vendas devido à falta de produtos. Além disso, a tecnologia contribui para uma cadeia de suprimentos mais eficiente, melhorando a logística e reduzindo o tempo de entrega.

3. Análise preditiva para tomada de decisões estratégicas: Tomar decisões informadas é vital no varejo. O Machine Learning oferece análises preditivas, antecipando tendências de mercado, comportamento do consumidor e impacto de campanhas de marketing. Essas informações embasam decisões estratégicas, desde seleção de produtos até estratégias de marketing, proporcionando uma vantagem competitiva significativa.

4. Melhoria na segurança e prevenção de fraudes: A segurança é uma preocupação constante no varejo, especialmente nas transações online. Algoritmos do Machine Learning analisam padrões de comportamento de transações, identificando atividades suspeitas e prevenindo fraudes. Essa abordagem proativa protege tanto os consumidores quanto os varejistas, construindo confiança e preservando a integridade da marca.

Personalized Recommendations: Entendendo e atendendo às preferências do cliente"

As Personalized Recommendations são ferramentas relevantes para os varejistas, desempenhando um papel crucial no aprimoramento da satisfação do cliente e no impulso das vendas. Essa abordagem sugere produtos relevantes com base nos dados do cliente, marcando uma mudança significativa na maneira como as empresas interagem e atendem às preferências individuais.

Ao segmentar cuidadosamente os clientes, os algoritmos do Machine Learning analisam minuciosamente o comportamento, histórico de navegação, padrões de compra e preferências contextuais. Essa análise profunda permite oferecer sugestões personalizadas que ressoam com cada cliente, elevando não apenas a experiência de compra, mas também a probabilidade de conversão. A lógica é simples: os clientes têm maior propensão a adquirir produtos que estejam alinhados com seus interesses e necessidades.

Diversas empresas líderes já incorporaram eficazmente essa tecnologia para proporcionar recomendações personalizadas aos seus clientes, evidenciando o impacto positivo dessa estratégia:

Amazon: Utilizando o Machine Learning, a Amazon analisa atividades e preferências dos usuários, gerando sugestões altamente relevantes. Esse enfoque não apenas aprimora a satisfação do cliente, mas também aumenta as chances de conversão.

Netflix: Algoritmos do Machine Learning analisam hábitos de visualização e preferências dos usuários na Netflix. Com base nesses dados, a plataforma recomenda programas e filmes, personalizando a experiência de cada usuário.

Spotify: Ao examinar os hábitos de escuta dos usuários, o Spotify utiliza o Machine Learning para criar listas de reprodução personalizadas e sugerir novas músicas, proporcionando uma experiência musical única para cada usuário.

Google: A gigante de buscas emprega Machine Learning para oferecer resultados de pesquisa e anúncios personalizados. A análise do histórico de pesquisa, localização e outros fatores permite que o Google forneça resultados mais relevantes e úteis.

Ao unir forças com o Machine Learning e a inteligência artificial (IA), essas empresas conseguem não apenas antecipar as necessidades dos clientes, mas também proporcionar recomendações personalizadas que elevam a satisfação e maximizam o valor ao longo do tempo de vida do cliente.

O Futuro do Machine Learning no setor de varejo

O futuro do Machine Learning no varejo se revela empolgante à medida que essa tecnologia avança. Antecipamos a emergência de aplicativos ainda mais inovadores, explorando áreas como realidade aumentada, provadores virtuais e considerações éticas na colaboração entre humanos e IA.

Nos próximos anos, é provável que o Machine Learning desempenhe um papel cada vez mais relevante na transformação do cenário varejista, impulsionado pelos investimentos contínuos dos varejistas nessa poderosa tecnologia. Algumas tendências interessantes que ganham popularidade incluem a sinergia entre realidade aumentada e a interação humana com a inteligência artificial.

Realidade aumentada e provadores virtuais

A realidade aumentada (AR) e os provadores virtuais estão conquistando espaço no universo do varejo, oferecendo aos clientes uma experiência de compra envolvente e imersiva.

Através de algoritmos do Machine Learning, a AR e os provadores virtuais possibilitam que os clientes experimentem virtualmente roupas, visualizem produtos em 

formato tridimensional e recebam recomendações personalizadas. Essa abordagem não apenas aprimora a satisfação do cliente, mas também eleva seu engajamento, permitindo que os compradores experimentem produtos sem a necessidade de visitar uma loja física.

A aceitação crescente de dispositivos de AR pelos consumidores é evidente, com empresas como Apple e Meta introduzindo avanços notáveis, como o Vision Pro e o Quest 3, respectivamente.

Conforme o Machine Learning continua avançando, antecipamos uma integração ainda mais profunda da AR e dos provadores virtuais no varejo, proporcionando experiências de compra cada vez mais personalizadas e imersivas. Essas inovações têm o potencial de remodelar a jornada de compra dos consumidores, ultrapassando as fronteiras entre o varejo online e offline e gerando novas oportunidades de crescimento.

A transformação do Varejo com Machine Learning e o papel fundamental do inglês na equipe

por
Lingopass
15.12.2023
Tempo de leitura:
5 minutos

O Machine Learning, que pode ser traduzido como aprendizado de máquina ou aprendizagem de máquina, está revolucionando o cenário do varejo, proporcionando insights valiosos, simplificando operações e aprimorando as experiências dos clientes.  

De vendas online a lojas físicas, os sistemas do Machine Learning são cada vez mais adotados para analisar grandes conjuntos de dados, identificar padrões e oferecer uma compreensão mais profunda do setor de varejo como um todo.  

Grandes players, como Amazon, eBay e Alibaba, têm integrado eficientemente essa tecnologia em todas as fases do ciclo de vendas, alterando fundamentalmente a forma como os varejistas conduzem seus negócios.  

A crescente relevância do Machine Learning no varejo é evidenciada pela previsão de uma expansão significativa do mercado global de IA no setor. Consequentemente, a tecnologia inovadora está se tornando uma parte indispensável do ambiente varejista, capacitando as empresas a utilizar dados para decisões estratégicas, prever comportamentos e agregar valor aos clientes.

Como o Machine Learning opera no varejo

Ao explorar conjuntos de dados, os algoritmos do Machine Learning identificam padrões e oferecem previsões, concedendo aos varejistas percepções valiosas para fundamentar suas decisões estratégicas.

Utilizando dados do cliente, como histórico e tendências de compra, bem como interações em plataformas de redes sociais, esses algoritmos antecipam comportamentos futuros, permitindo a criação de campanhas de marketing altamente personalizadas.

À medida que esses sistemas processam uma quantidade crescente de dados, descobrem novas correlações, refinando constantemente sua compreensão sobre a rotatividade de clientes e o panorama do negócio. Essa evolução contínua é fundamental para decisões mais esclarecidas e para o desenvolvimento de estratégias mais eficazes em um ambiente varejista em constante mutação. 

Confira alguns benefícios para o setor de varejo:

1. Precificação dinâmica e estratégias de descontos: O Machine Learning permite uma adaptação dinâmica da precificação, levando em consideração variáveis como demanda, sazonalidade e comportamento do concorrente. Além disso, a análise preditiva pode identificar padrões de compra, possibilitando a aplicação estratégica de descontos personalizados. Essa flexibilidade na precificação maximiza a margem de lucro e atrai consumidores sensíveis a preços.

2. Estoque inteligente e gestão de cadeia de suprimentos: Evitar estoques excessivos ou insuficientes é um desafio constante no varejo. O Machine Learning otimiza a gestão de estoque, prevendo a demanda futura com base em dados históricos e tendências de mercado. Isso reduz custos associados a excesso de estoque e evita perdas de vendas devido à falta de produtos. Além disso, a tecnologia contribui para uma cadeia de suprimentos mais eficiente, melhorando a logística e reduzindo o tempo de entrega.

3. Análise preditiva para tomada de decisões estratégicas: Tomar decisões informadas é vital no varejo. O Machine Learning oferece análises preditivas, antecipando tendências de mercado, comportamento do consumidor e impacto de campanhas de marketing. Essas informações embasam decisões estratégicas, desde seleção de produtos até estratégias de marketing, proporcionando uma vantagem competitiva significativa.

4. Melhoria na segurança e prevenção de fraudes: A segurança é uma preocupação constante no varejo, especialmente nas transações online. Algoritmos do Machine Learning analisam padrões de comportamento de transações, identificando atividades suspeitas e prevenindo fraudes. Essa abordagem proativa protege tanto os consumidores quanto os varejistas, construindo confiança e preservando a integridade da marca.

Personalized Recommendations: Entendendo e atendendo às preferências do cliente"

As Personalized Recommendations são ferramentas relevantes para os varejistas, desempenhando um papel crucial no aprimoramento da satisfação do cliente e no impulso das vendas. Essa abordagem sugere produtos relevantes com base nos dados do cliente, marcando uma mudança significativa na maneira como as empresas interagem e atendem às preferências individuais.

Ao segmentar cuidadosamente os clientes, os algoritmos do Machine Learning analisam minuciosamente o comportamento, histórico de navegação, padrões de compra e preferências contextuais. Essa análise profunda permite oferecer sugestões personalizadas que ressoam com cada cliente, elevando não apenas a experiência de compra, mas também a probabilidade de conversão. A lógica é simples: os clientes têm maior propensão a adquirir produtos que estejam alinhados com seus interesses e necessidades.

Diversas empresas líderes já incorporaram eficazmente essa tecnologia para proporcionar recomendações personalizadas aos seus clientes, evidenciando o impacto positivo dessa estratégia:

Amazon: Utilizando o Machine Learning, a Amazon analisa atividades e preferências dos usuários, gerando sugestões altamente relevantes. Esse enfoque não apenas aprimora a satisfação do cliente, mas também aumenta as chances de conversão.

Netflix: Algoritmos do Machine Learning analisam hábitos de visualização e preferências dos usuários na Netflix. Com base nesses dados, a plataforma recomenda programas e filmes, personalizando a experiência de cada usuário.

Spotify: Ao examinar os hábitos de escuta dos usuários, o Spotify utiliza o Machine Learning para criar listas de reprodução personalizadas e sugerir novas músicas, proporcionando uma experiência musical única para cada usuário.

Google: A gigante de buscas emprega Machine Learning para oferecer resultados de pesquisa e anúncios personalizados. A análise do histórico de pesquisa, localização e outros fatores permite que o Google forneça resultados mais relevantes e úteis.

Ao unir forças com o Machine Learning e a inteligência artificial (IA), essas empresas conseguem não apenas antecipar as necessidades dos clientes, mas também proporcionar recomendações personalizadas que elevam a satisfação e maximizam o valor ao longo do tempo de vida do cliente.

O Futuro do Machine Learning no setor de varejo

O futuro do Machine Learning no varejo se revela empolgante à medida que essa tecnologia avança. Antecipamos a emergência de aplicativos ainda mais inovadores, explorando áreas como realidade aumentada, provadores virtuais e considerações éticas na colaboração entre humanos e IA.

Nos próximos anos, é provável que o Machine Learning desempenhe um papel cada vez mais relevante na transformação do cenário varejista, impulsionado pelos investimentos contínuos dos varejistas nessa poderosa tecnologia. Algumas tendências interessantes que ganham popularidade incluem a sinergia entre realidade aumentada e a interação humana com a inteligência artificial.

Realidade aumentada e provadores virtuais

A realidade aumentada (AR) e os provadores virtuais estão conquistando espaço no universo do varejo, oferecendo aos clientes uma experiência de compra envolvente e imersiva.

Através de algoritmos do Machine Learning, a AR e os provadores virtuais possibilitam que os clientes experimentem virtualmente roupas, visualizem produtos em 

formato tridimensional e recebam recomendações personalizadas. Essa abordagem não apenas aprimora a satisfação do cliente, mas também eleva seu engajamento, permitindo que os compradores experimentem produtos sem a necessidade de visitar uma loja física.

A aceitação crescente de dispositivos de AR pelos consumidores é evidente, com empresas como Apple e Meta introduzindo avanços notáveis, como o Vision Pro e o Quest 3, respectivamente.

Conforme o Machine Learning continua avançando, antecipamos uma integração ainda mais profunda da AR e dos provadores virtuais no varejo, proporcionando experiências de compra cada vez mais personalizadas e imersivas. Essas inovações têm o potencial de remodelar a jornada de compra dos consumidores, ultrapassando as fronteiras entre o varejo online e offline e gerando novas oportunidades de crescimento.

Exemplos de empresas inovadoras

  • PacSun: Utilização de AR para displays em vitrines e experimentação virtual.

  • Nike: Implementação de AR e VR em suas lojas físicas para visualização e experimentação de produtos.

  • IKEA: Desenvolvimento do aplicativo "The Place" para posicionamento virtual de móveis.

  • Warby Parker: Possibilidade de experimentar óculos usando AR.

  • Asos: Utilização de modelos simulados em seu site para experimentação virtual.

  • Burberry: Elevação da experiência de marca com o uso de IA.

  • Snap: Desenvolvimento do "City Painter", um projeto de arte em AR que transforma espaços urbanos.

  • Gucci: Adição de um recurso de AR ao seu aplicativo para experimentação virtual de tênis.

O caminho à frente parece emocionante, com essa tecnologia moldando um varejo mais personalizado, imersivo e ético.

Ética no Machine Learning no setor de varejo: Colaboração entre Humanos e IA

Com o crescimento contínuo do Machine Learning no setor de varejo, é importante abordar as implicações éticas que emergem dessa evolução.

Os algoritmos dessa tecnologia, se não forem devidamente gerenciados, podem perpetuar preconceitos ou discriminações nos processos de tomada de decisão. Garantir que esses sistemas sejam projetados e utilizados de maneira a promover a justiça e a inclusão é uma prioridade essencial.

Para estabelecer um padrão ético robusto, os varejistas podem adotar medidas proativas, como assegurar a diversidade nos conjuntos de dados usados para treinar modelos do Machine Learning. Adicionalmente, a revisão periódica e o ajuste desses modelos são indispensáveis para prevenir vieses indesejados que podem surgir ao longo do tempo.  

Ao integrar habilidades tanto humanas quanto de IA, os varejistas podem garantir uma tomada de decisão ética em suas estratégias do Machine Learning. A transparência no desenvolvimento e aplicação desses algoritmos é fundamental, permitindo que consumidores e partes interessadas compreendam os princípios subjacentes às decisões tomadas. Além disso, a responsabilidade na gestão e monitoramento contínuo dos sistemas é vital para identificar e corrigir prontamente possíveis desafios éticos.

Ao navegar pelo cenário do Machine Learning no varejo, a integridade ética deve ser um princípio orientador, garantindo que as inovações tecnológicas beneficiem a todos de maneira justa e equitativa.

Inglês e Machine Learning no varejo: uma parceria essencial

Com a crescente internacionalização do mercado, a habilidade de se comunicar eficientemente em inglês torna-se um requisito indispensável para as equipes que trabalham com o Machine Learning no setor varejista. A literatura técnica, conferências e documentação relevante frequentemente estão disponíveis nesse idioma. Além disso, a colaboração com equipes globais e a compreensão de avanços tecnológicos exigem proficiência no inglês.

A capacidade de articular ideias e resultados em inglês facilita a integração com a comunidade global de TI, proporcionando uma troca valiosa de conhecimento e melhores práticas. Profissionais proficientes em inglês podem aproveitar oportunidades de aprendizado contínuo, participar ativamente de fóruns e conferências internacionais, mantendo-se atualizados sobre as últimas tendências e inovações.

É relevante destacar que o Lingopass desenvolveu uma plataforma SaaS data-driven que proporciona acesso centralizado a diversas ferramentas de avaliação, capacitação, colaboração e monitoramento de métricas de progresso e desempenho. Essa interface digital integrada é facilmente acessível por meio de computadores e dispositivos móveis.

A oferta abrange uma ampla gama de serviços, incluindo nivelamento em larga escala, pílulas de micro-learning específicas para diferentes indústrias e objetivos, e aprimoramento de habilidades em idiomas por meio de aulas ao vivo e trilhas adaptativas, todas impulsionadas por métodos inovadores. Estas últimas são projetadas para se ajustar ao perfil de personalidade dos usuários, proporcionando uma experiência de aprendizado mais personalizada e eficaz, impulsionando a motivação, taxas de conclusão e certificações.

Além de oferecer benefícios tangíveis aos usuários finais, essa solução representa um avanço significativo no aproveitamento do potencial inovador no contexto de Treinamento e Desenvolvimento em idiomas, proporcionando aos gestores uma visão transparente e controle efetivo sobre a alocação e utilização dos recursos.

Em resumo, o Machine Learning no varejo oferece inúmeras vantagens, desde a personalização da experiência do cliente até a otimização da cadeia de suprimentos. Aprofundar a compreensão dessa tecnologia e investir no aprimoramento das habilidades em inglês dentro da equipe são passos essenciais para posicionar o varejo na vanguarda da inovação e impulsionar as vendas de maneira significativa. Este é o momento de abraçar a revolução dessa tecnologia inovadora e preparar o terreno para um futuro promissor no varejo global.

Ver também:
14.2.24
Estudo Gartner: Quais são as tendências de RH para 2024?
29.3.24
Conheça os diferentes tipos de Inteligência Artificial (IA) e como podem ser introduzidos aos times e squads?
19.4.24
Domínio de idiomas pode ser uma ferramenta-chave para os negócios
Faça Aulas gratuitas de conversação:
Sou Aluno
Seta apontando para a diagonal alta direita. Representando um link para outra página
lingonews
Receba novidades e conteúdos exclusivos em nossas newsletters.
Obrigado por se cadastrar!
Email inválido. Tente novamente ou use outro email.
Estamos na lista das 100 Latam EdTech mais promissoras de 2022 e 2023, pela HolonIQ
Estamos na lista de 100 Startups to Watch, pela Pequenas Empresas e Grandes Negócios
Acelerado por grandes parceiros:
©Lingopass - todos os direitos reservados. Termo de Uso e Política de Privacidade