por
Lingopass
7.12.2022

Benchmarking: conheça a ferramenta de gestão que pode aprimorar os serviços da sua empresa

Conheça o que é Benchmarking e como utilizá-lo para aprimorar os serviços da sua empresa!

Entre muitas das estratégias que impulsionam o sucesso empresarial de um negócio está o benchmarking. Essa é uma prática quase que de aprendizado, em que as empresas aprendem com outras que já estão consolidadas no mercado e tomam boas atitudes para ter sucesso. 

O que é Benchmarking?

Benchmarking é um termo que tem origem na palavra "benchmark", que significa ponto de referência. Dessa maneira, essa é uma prática em que uma empresa analisa outras empresas (concorrentes diretas ou não) para perceber quais são as atitudes positivas tomadas por esses negócios que os impulsionam e os fazem crescer no mercado. 

O objetivo do Benchmarking

Sabendo benchmark o que é, fica mais fácil entender os seus objetivos. A principal finalidade dessa prática é aprender com os acertos de empresas que já estão consolidadas no mercado e, por isso, sabem como elas funcionam. Além disso, o benchmarking também dá bagagem para que empresas consigam sair na frente em possíveis tendências e nas alterações necessárias à adaptação. 

Os diferentes tipos de Benchmarking

Os pontos baixos de uma empresa não têm as mesmas características. É possível que uma fábrica, por exemplo, tenha problemas na linha de produção, no atendimento aos clientes, na gestão financeira e por aí vai. Dessa forma, não é possível haver apenas um tipo de benchmarking e, por isso, existem 5 tipos principais:

 Competitivo

Em todas as competições esportivas, são agrupados atletas de uma mesma categoria para que eles sejam equivalentes na hora de mostrarem suas habilidades. Nas lutas, por exemplo, existem os pesos penas, os pesos pesados e por aí vai e isso não é nada diferente no benchmarking competitivo.  

Nesse caso, as empresas avaliam os processos realizados em negócios que prestam o mesmo serviço ou vendem o mesmo tipo de produto, ou seja, os concorrentes diretos. 

Genérico

O benchmarking genérico tem uma maior amplitude de análise em relação ao competitivo. Aqui, as empresas observadas não precisam ser concorrentes diretos, elas devem apenas ter processos semelhantes. Dessa forma, a interpretação de dados ganha um teor de organizacional. 

Uma empresa que produz e comercializa bolachas, por exemplo, poderia analisar uma outra empresa que tem uma fábrica de macarrão (ou de qualquer outro produto alimentício) pois os processos do negócio são praticamente os mesmos. 

Funcional

O funcional fecha ainda mais para a questão organizacional de uma empresa. Nesse caso, a empresa avaliada não precisa ter nenhum tipo de semelhança com a empresa que está analisando, já que o objetivo é analisar os pontos comuns a todos os tipos de empresa. 

Não importa a razão de existência de uma empresa, praticamente todas têm um setor de RH, precisam ter uma gestão financeira e por aí vai. A função do benchmarking funcional é voltar os olhares para essas práticas que precisam existir em todo negócio estabelecido. 

Interno

Nem sempre as empresas oferecem serviços que sejam palpáveis, concretos. Uma empresa de consultoria em administração, por exemplo, pode ter os seus resultados constatados através de métricas, mas eles não são tão visíveis quanto uma construção civil ou algo do tipo. 

Esse tipo de empresa tem muito a ganhar o benchmarking interno, pois ele tem como principal finalidade avaliar pontos de outras empresas que podem complementar as práticas do dia a dia. Voltando ao exemplo das empresas de consultoria em administração, elas poderiam analisar uma empresa de atendimento ao cliente. 

De cooperação

O último tipo de benchmarking é o de cooperação. Nesse caso, duas empresas percebem que cada uma delas têm pontos altos que podem se complementar. Nesse cenário, elas se juntam para aprender e evoluir. Esse tipo é muito bom pois as análises costumam ser mais profundas (já que há a cooperação das empresas detentoras dos dados) e o processo de aprendizado também é facilitado.

Como aplicar o Benchmarking para aprimorar os serviços da sua empresa

O conceito e a exemplificação do que é benchmarking e os seus tipos são muitos proveitosos mas não explicam como essa prática pode ser colocada em vigência. Para fazer um benchmarking em sua empresa é preciso: 

Organize a tarefa dentro de sua própria empresa

Pensando que o benchmarking é uma prática que tem como principal finalidade aprender com os concorrentes, o primeiro passo é fazer uma análise própria de absolutamente todos os processos que estão em desfalque e, por isso, devem ser melhorados. 

Como essa é uma tarefa bem complicada e específica, é crucial que a empresa nomeie uma equipe responsável especialmente para isso. Uma boa dica é que sejam colhidos feedbacks dos clientes para determinar os pontos altos e os pontos baixos. Além disso, ouvir os próprios funcionários também é uma etapa muito importante. 

Selecione concorrentes para analisar

Determinando quais são os pontos a serem melhorados dentro da empresa, chegou a hora de escolher as empresas a serem analisadas. É importante traçar um plano de melhoria de cada uma das práticas para conseguir determinar com propriedade qual tipo de benchmarking usar. 

Outro ponto relevante nesse momento é analisar uma empresa de cada vez. Geralmente as empresas que fazem benchmarking precisam usar uns 3 tipos diferentes e pode haver uma verdadeira confusão de todas as análises que foram feitas de uma só vez. 

Determine as melhores métricas

Após determinar quais empresas serão analisadas, chega o momento de escolher as métricas métricas para a realização dessa análise. Essa também é uma escolha que deve ser feita a partir do benchmarking escolhido. No tipo interno, por exemplo, as métricas não são tão quantitativas mas sim qualitativas e de processo. 

Analise e tire suas conclusões

O último passo é o de coletar todos os dados e informações, fazer a análise em cima das métricas escolhidas e, para finalizar, tirar as conclusões. Com tudo isso pronto, é preciso começar a criar um plano de ação para colocar em prática todas as mudanças julgadas como necessárias dentro do dia a dia da empresa. 

Um dos cenários em que o benchmarking é mais aplicável acontece quando uma empresa quer se internacionalizar e, por isso, analisa os negócios do país destino. Mesmo sendo valioso, o benchmarking não pode ser feito sozinho. Saiba mais sobre internacionalização no Lingopass.

Benchmarking: conheça a ferramenta de gestão que pode aprimorar os serviços da sua empresa

por
Lingopass
7.12.2022
Tempo de leitura:

Conheça o que é Benchmarking e como utilizá-lo para aprimorar os serviços da sua empresa!

Entre muitas das estratégias que impulsionam o sucesso empresarial de um negócio está o benchmarking. Essa é uma prática quase que de aprendizado, em que as empresas aprendem com outras que já estão consolidadas no mercado e tomam boas atitudes para ter sucesso. 

O que é Benchmarking?

Benchmarking é um termo que tem origem na palavra "benchmark", que significa ponto de referência. Dessa maneira, essa é uma prática em que uma empresa analisa outras empresas (concorrentes diretas ou não) para perceber quais são as atitudes positivas tomadas por esses negócios que os impulsionam e os fazem crescer no mercado. 

O objetivo do Benchmarking

Sabendo benchmark o que é, fica mais fácil entender os seus objetivos. A principal finalidade dessa prática é aprender com os acertos de empresas que já estão consolidadas no mercado e, por isso, sabem como elas funcionam. Além disso, o benchmarking também dá bagagem para que empresas consigam sair na frente em possíveis tendências e nas alterações necessárias à adaptação. 

Os diferentes tipos de Benchmarking

Os pontos baixos de uma empresa não têm as mesmas características. É possível que uma fábrica, por exemplo, tenha problemas na linha de produção, no atendimento aos clientes, na gestão financeira e por aí vai. Dessa forma, não é possível haver apenas um tipo de benchmarking e, por isso, existem 5 tipos principais:

 Competitivo

Em todas as competições esportivas, são agrupados atletas de uma mesma categoria para que eles sejam equivalentes na hora de mostrarem suas habilidades. Nas lutas, por exemplo, existem os pesos penas, os pesos pesados e por aí vai e isso não é nada diferente no benchmarking competitivo.  

Nesse caso, as empresas avaliam os processos realizados em negócios que prestam o mesmo serviço ou vendem o mesmo tipo de produto, ou seja, os concorrentes diretos. 

Genérico

O benchmarking genérico tem uma maior amplitude de análise em relação ao competitivo. Aqui, as empresas observadas não precisam ser concorrentes diretos, elas devem apenas ter processos semelhantes. Dessa forma, a interpretação de dados ganha um teor de organizacional. 

Uma empresa que produz e comercializa bolachas, por exemplo, poderia analisar uma outra empresa que tem uma fábrica de macarrão (ou de qualquer outro produto alimentício) pois os processos do negócio são praticamente os mesmos. 

Funcional

O funcional fecha ainda mais para a questão organizacional de uma empresa. Nesse caso, a empresa avaliada não precisa ter nenhum tipo de semelhança com a empresa que está analisando, já que o objetivo é analisar os pontos comuns a todos os tipos de empresa. 

Não importa a razão de existência de uma empresa, praticamente todas têm um setor de RH, precisam ter uma gestão financeira e por aí vai. A função do benchmarking funcional é voltar os olhares para essas práticas que precisam existir em todo negócio estabelecido. 

Interno

Nem sempre as empresas oferecem serviços que sejam palpáveis, concretos. Uma empresa de consultoria em administração, por exemplo, pode ter os seus resultados constatados através de métricas, mas eles não são tão visíveis quanto uma construção civil ou algo do tipo. 

Esse tipo de empresa tem muito a ganhar o benchmarking interno, pois ele tem como principal finalidade avaliar pontos de outras empresas que podem complementar as práticas do dia a dia. Voltando ao exemplo das empresas de consultoria em administração, elas poderiam analisar uma empresa de atendimento ao cliente. 

De cooperação

O último tipo de benchmarking é o de cooperação. Nesse caso, duas empresas percebem que cada uma delas têm pontos altos que podem se complementar. Nesse cenário, elas se juntam para aprender e evoluir. Esse tipo é muito bom pois as análises costumam ser mais profundas (já que há a cooperação das empresas detentoras dos dados) e o processo de aprendizado também é facilitado.

Como aplicar o Benchmarking para aprimorar os serviços da sua empresa

O conceito e a exemplificação do que é benchmarking e os seus tipos são muitos proveitosos mas não explicam como essa prática pode ser colocada em vigência. Para fazer um benchmarking em sua empresa é preciso: 

Organize a tarefa dentro de sua própria empresa

Pensando que o benchmarking é uma prática que tem como principal finalidade aprender com os concorrentes, o primeiro passo é fazer uma análise própria de absolutamente todos os processos que estão em desfalque e, por isso, devem ser melhorados. 

Como essa é uma tarefa bem complicada e específica, é crucial que a empresa nomeie uma equipe responsável especialmente para isso. Uma boa dica é que sejam colhidos feedbacks dos clientes para determinar os pontos altos e os pontos baixos. Além disso, ouvir os próprios funcionários também é uma etapa muito importante. 

Selecione concorrentes para analisar

Determinando quais são os pontos a serem melhorados dentro da empresa, chegou a hora de escolher as empresas a serem analisadas. É importante traçar um plano de melhoria de cada uma das práticas para conseguir determinar com propriedade qual tipo de benchmarking usar. 

Outro ponto relevante nesse momento é analisar uma empresa de cada vez. Geralmente as empresas que fazem benchmarking precisam usar uns 3 tipos diferentes e pode haver uma verdadeira confusão de todas as análises que foram feitas de uma só vez. 

Determine as melhores métricas

Após determinar quais empresas serão analisadas, chega o momento de escolher as métricas métricas para a realização dessa análise. Essa também é uma escolha que deve ser feita a partir do benchmarking escolhido. No tipo interno, por exemplo, as métricas não são tão quantitativas mas sim qualitativas e de processo. 

Analise e tire suas conclusões

O último passo é o de coletar todos os dados e informações, fazer a análise em cima das métricas escolhidas e, para finalizar, tirar as conclusões. Com tudo isso pronto, é preciso começar a criar um plano de ação para colocar em prática todas as mudanças julgadas como necessárias dentro do dia a dia da empresa. 

Um dos cenários em que o benchmarking é mais aplicável acontece quando uma empresa quer se internacionalizar e, por isso, analisa os negócios do país destino. Mesmo sendo valioso, o benchmarking não pode ser feito sozinho. Saiba mais sobre internacionalização no Lingopass.

Ver também:
20.9.23
Curso de Idiomas online: um benefício necessário para suas equipes.
22.9.22
Lingopass está na lista anual de 2022 da HolonIQ
21.8.23
Lingopass + Azul: Parceria que levou 4 gestores de RH para Paris
Faça Aulas gratuitas de conversação:
Sou Aluno
Seta apontando para a diagonal alta direita. Representando um link para outra página
lingonews
Receba novidades e conteúdos exclusivos em nossas newsletters.
Obrigado por se cadastrar!
Email inválido. Tente novamente ou use outro email.
Estamos na lista de 100 Startups to Watch, pela Pequenas Empresas e Grandes Negócios
Estamos na lista das 100 Latam EdTech mais promissoras de 2022 e 2023, pela HolonIQ
Acelerado por grandes parceiros:
©Lingopass - todos os direitos reservados. Termo de Uso e Política de Privacidade