por
Lingopass
27.1.2023

Gestão democrática: o que é, como aplicar e como ela beneficia seus colaboradores

01Confira o que é gestão democrática e como aplicá-la na sua empresa

É muito comum ter a percepção de que há uma série de fatores que trazem consigo questões relacionadas à hierarquia e a centralização de gestão ao analisar a estrutura corporativa de determinadas instituições ou empresas. Fato é que, apesar dessa centralização ser uma medida que garante maior controle acerca dos processos da empresa, ela é também uma forma de distanciar os colaboradores da tomada de decisões que poderiam beneficiar a instituição. Nesse contexto, surge a ideia de gestão democrática, confira abaixo.  

O que é Gestão Democrática?

Tendo sua origem em diversos ambientes escolares, pais, alunos, professores e demais responsáveis na área da educação entendiam que uma gestão de aprendizado seria muito mais efetiva quando tivesse participação de todas as partes envolvidas no processo. 

Desse modo, diversas medidas começaram a ser implementadas, como a criação de reuniões de pais e responsáveis, a formação de grêmios estudantis e também a elaboração frequente dos chamados “conselhos de classe” entre os professores, coordenadores e direção da instituição. 

Seja diretamente ou indiretamente, nesse modelo organizacional havia uma participação de todos os envolvidos em como a escola seria gerida, mas também uma pessoa centralizadora de todo o poder para decidir implementar ou não tais medidas. As discussões elaboradas tratavam muito mais dos benefícios aos próprios alunos e do aprendizado, do que do sucesso da instituição – o que acabava sendo uma consequência desse processo.

Sendo assim, a concepção de gestão democrática passa por uma iniciativa de gestão coletiva na qual diversas pessoas envolvidas no processo de funcionamento da instituição têm a possibilidade de serem ouvidas e influenciarem diretamente ou indiretamente nas decisões tomadas pela empresa. 

 Benefícios da Gestão Democrática

A implementação da gestão democrática apresenta diversos pontos positivos para o sucesso corporativo e deveria ser implementada em todas as instituições que visam uma tomada de decisão consciente e querem uma abertura maior para atuar de forma mais diversa. 

Motivação

Em uma empresa que visa uma maior participação dos seus colaboradores, permitindo que eles possam atuar de forma mais produtiva, o investimento na criação de sentimento de pertencer a algo normalmente é o caminho a ser seguido. Por isso, é fundamental entender que não há nada mais pertencente do que a sensação de participar de algo e poder ouvir e ser ouvido. 

Melhoria na comunicação

A implementação de uma gestão democrática depende também de uma melhoria na comunicação corporativa, e isso serve para diversos outros processos e benefícios. É fundamental que exista um canal para que possa haver a troca e que possa ser criada a possibilidade de se expressar e de ouvir o outro também. 

Maior criatividade

Com uma participação coletiva, abre-se um espaço considerável e bastante importante para o desenvolvimento e a sugestão de ideias diversas. Assim, diversos colaboradores podem auxiliar nesse processo de criação, o que abre maior espaço para o desenvolvimento criativo. 

 Melhoria na qualidade

Caminhando na mesma direção, quanto maior a participação dos colaboradores nas decisões, maior a motivação e a criatividade, o que faz com que seja criada uma maior qualificação daquilo que é entregue como produto final.

Redução de conflitos

A redução de conflitos é um dos fatores mais benéficos desse tipo de gestão. Isso se deve ao fato de que é bastante comum, em diversos cenários corporativos, haver uma relação desgastada, ou, em muitos casos, uma relação péssima entre o chefe e os demais colaboradores. Desse modo, com a participação coletiva, a hierarquia se mantém mas é amenizada, aproximando os diversos “níveis” da empresa. Isso faz com que aumente a sensação de pertencimento, e a redução de conflitos acaba sendo uma consequência disso. 

Como Implementar a Gestão Democrática

Entender o que é gestão democrática é uma das partes mais fáceis do processo. Essa ideia, apesar de parecer bastante simples, tem uma complexidade bastante grande, principalmente pensando na ideia de abandono da distância entre os diversos níveis corporativos. Isso mexe diretamente com as relações de poder, e também com o ego individual. Por isso, confira abaixo como implementar esse tipo de gestão. 

Participação Ativa

Como já foi citado, a concepção de gestão democrática é bem mais simples do que a sua aplicação real. Isso faz com que a participação ativa se torne fundamental para a criação de um sentimento de que, de fato, o processo de mudança está ocorrendo. Então, vai se criando aos poucos esse sentimento de participação nos processos corporativos e de gestão. Isso pode ser feito através do encorajamento da participação e a abertura para interações coletivas. 

Treinamentos

Investir na capacitação de colaboradores é fundamental para garantir a possibilidade de todos se sentirem incluídos nesse processo e se sentirem parte de algo coletivo. Para isso, pode-se fazer uso de práticas em grupo e treinamentos individuais, que refletem a importância dos colaboradores para a empresa. 

Criação de regras

O estabelecimento de regras é fundamental para entender até onde vai a liberdade gestionária e quais são os limites. A criação de regras deve ser feita de modo claro e de conhecimento geral, sendo comunicadas e reforçadas a todo instante. Além disso, é importante demonstrar interesse na continuidade do processo. Isso é fundamental para que os colaboradores “comprem” essas novas ideias. 

Desafios da Gestão Democrática 

É um fato: a gestão democrática enfrenta diversos desafios e resistências (até mesmo de forma inconsciente) para ser implementada. Nesse cenário, confira quais são os obstáculos a serem superados.

Dificuldade na implementação da participação ativa

A dificuldade na implementação da participação ativa é multifatorial: isso se deve ao fato de que há uma necessidade de participação de todos os lados envolvidos e necessita de engajamento, tornando importante estimular as pessoas a participar. Portanto, acaba sendo um desafio conseguir conciliar todos os lados em prol do sucesso em estabelecer a gestão democrática. 

Investimento em treinamento

O outro principal desafio é a necessidade de investir na criação de treinamentos e no desenvolvimento dos colaboradores. Isso demanda da empresa, um investimento financeiro, e, dos colaboradores, um investimento de tempo e interesse. 

Conflito de interesses

A democracia como forma de governança é uma ótima alternativa, mas existem diversos aspectos que são muito mais complexos, como a necessidade de ouvir vários lados e considerar diversas ideias e opiniões sobre determinados assuntos. Quando se trabalha com poucas possibilidades e ideias, há menor conflito. 

Exemplos de Gestão Democrática

Existem diversos exemplos práticos de gestão democrática, mas o principal, já citado neste artigo, é a implementação bem-sucedida no sistema educacional (principalmente privado) das instituições brasileiras. Confira abaixo um pouco mais sobre isso. 

Gestão de instituições educacionais

É bastante comum que as pessoas à frente de instituições educacionais não tenham grande conhecimento em gestão de alunos e pessoas, principalmente do desenvolvimento e aprendizado de uma criança ou jovem/adolescente. A participação de pais, responsáveis, professores e demais colaboradores visa uma melhoria estrutural da instituição e o sucesso discente.

Trazendo este exemplo para a realidade corporativa de uma maneira mais ampla, o envolvimento de indivíduos de diferentes setores em atividades conjuntas faz com que a empresa tenha participação coletiva em prol de obter bons resultados que agradem a maior parte dos envolvidos no processo. 

Desse modo, a gestão democrática se torna um pilar muito importante para estabelecer uma gestão de sucesso e, principalmente, coletiva. Por isso, fica aqui o convite para que você conheça o Lingopass, uma plataforma de capacitação multi-idioma e multicanal com foco no mercado corporativo e educacional. Disponível todos os dias de semana e 24 horas por dia, a plataforma une o melhor da pedagogia, do coaching e da tecnologia para oferecer diversos caminhos de aprendizagem que se moldam ao tipo de personalidade do aluno e resolvem as dificuldades de engajamento e conclusão de cursos. Para saber mais, clique aqui

Gestão democrática: o que é, como aplicar e como ela beneficia seus colaboradores

por
Lingopass
27.1.2023
Tempo de leitura:

01Confira o que é gestão democrática e como aplicá-la na sua empresa

É muito comum ter a percepção de que há uma série de fatores que trazem consigo questões relacionadas à hierarquia e a centralização de gestão ao analisar a estrutura corporativa de determinadas instituições ou empresas. Fato é que, apesar dessa centralização ser uma medida que garante maior controle acerca dos processos da empresa, ela é também uma forma de distanciar os colaboradores da tomada de decisões que poderiam beneficiar a instituição. Nesse contexto, surge a ideia de gestão democrática, confira abaixo.  

O que é Gestão Democrática?

Tendo sua origem em diversos ambientes escolares, pais, alunos, professores e demais responsáveis na área da educação entendiam que uma gestão de aprendizado seria muito mais efetiva quando tivesse participação de todas as partes envolvidas no processo. 

Desse modo, diversas medidas começaram a ser implementadas, como a criação de reuniões de pais e responsáveis, a formação de grêmios estudantis e também a elaboração frequente dos chamados “conselhos de classe” entre os professores, coordenadores e direção da instituição. 

Seja diretamente ou indiretamente, nesse modelo organizacional havia uma participação de todos os envolvidos em como a escola seria gerida, mas também uma pessoa centralizadora de todo o poder para decidir implementar ou não tais medidas. As discussões elaboradas tratavam muito mais dos benefícios aos próprios alunos e do aprendizado, do que do sucesso da instituição – o que acabava sendo uma consequência desse processo.

Sendo assim, a concepção de gestão democrática passa por uma iniciativa de gestão coletiva na qual diversas pessoas envolvidas no processo de funcionamento da instituição têm a possibilidade de serem ouvidas e influenciarem diretamente ou indiretamente nas decisões tomadas pela empresa. 

 Benefícios da Gestão Democrática

A implementação da gestão democrática apresenta diversos pontos positivos para o sucesso corporativo e deveria ser implementada em todas as instituições que visam uma tomada de decisão consciente e querem uma abertura maior para atuar de forma mais diversa. 

Motivação

Em uma empresa que visa uma maior participação dos seus colaboradores, permitindo que eles possam atuar de forma mais produtiva, o investimento na criação de sentimento de pertencer a algo normalmente é o caminho a ser seguido. Por isso, é fundamental entender que não há nada mais pertencente do que a sensação de participar de algo e poder ouvir e ser ouvido. 

Melhoria na comunicação

A implementação de uma gestão democrática depende também de uma melhoria na comunicação corporativa, e isso serve para diversos outros processos e benefícios. É fundamental que exista um canal para que possa haver a troca e que possa ser criada a possibilidade de se expressar e de ouvir o outro também. 

Maior criatividade

Com uma participação coletiva, abre-se um espaço considerável e bastante importante para o desenvolvimento e a sugestão de ideias diversas. Assim, diversos colaboradores podem auxiliar nesse processo de criação, o que abre maior espaço para o desenvolvimento criativo. 

 Melhoria na qualidade

Caminhando na mesma direção, quanto maior a participação dos colaboradores nas decisões, maior a motivação e a criatividade, o que faz com que seja criada uma maior qualificação daquilo que é entregue como produto final.

Redução de conflitos

A redução de conflitos é um dos fatores mais benéficos desse tipo de gestão. Isso se deve ao fato de que é bastante comum, em diversos cenários corporativos, haver uma relação desgastada, ou, em muitos casos, uma relação péssima entre o chefe e os demais colaboradores. Desse modo, com a participação coletiva, a hierarquia se mantém mas é amenizada, aproximando os diversos “níveis” da empresa. Isso faz com que aumente a sensação de pertencimento, e a redução de conflitos acaba sendo uma consequência disso. 

Como Implementar a Gestão Democrática

Entender o que é gestão democrática é uma das partes mais fáceis do processo. Essa ideia, apesar de parecer bastante simples, tem uma complexidade bastante grande, principalmente pensando na ideia de abandono da distância entre os diversos níveis corporativos. Isso mexe diretamente com as relações de poder, e também com o ego individual. Por isso, confira abaixo como implementar esse tipo de gestão. 

Participação Ativa

Como já foi citado, a concepção de gestão democrática é bem mais simples do que a sua aplicação real. Isso faz com que a participação ativa se torne fundamental para a criação de um sentimento de que, de fato, o processo de mudança está ocorrendo. Então, vai se criando aos poucos esse sentimento de participação nos processos corporativos e de gestão. Isso pode ser feito através do encorajamento da participação e a abertura para interações coletivas. 

Treinamentos

Investir na capacitação de colaboradores é fundamental para garantir a possibilidade de todos se sentirem incluídos nesse processo e se sentirem parte de algo coletivo. Para isso, pode-se fazer uso de práticas em grupo e treinamentos individuais, que refletem a importância dos colaboradores para a empresa. 

Criação de regras

O estabelecimento de regras é fundamental para entender até onde vai a liberdade gestionária e quais são os limites. A criação de regras deve ser feita de modo claro e de conhecimento geral, sendo comunicadas e reforçadas a todo instante. Além disso, é importante demonstrar interesse na continuidade do processo. Isso é fundamental para que os colaboradores “comprem” essas novas ideias. 

Desafios da Gestão Democrática 

É um fato: a gestão democrática enfrenta diversos desafios e resistências (até mesmo de forma inconsciente) para ser implementada. Nesse cenário, confira quais são os obstáculos a serem superados.

Dificuldade na implementação da participação ativa

A dificuldade na implementação da participação ativa é multifatorial: isso se deve ao fato de que há uma necessidade de participação de todos os lados envolvidos e necessita de engajamento, tornando importante estimular as pessoas a participar. Portanto, acaba sendo um desafio conseguir conciliar todos os lados em prol do sucesso em estabelecer a gestão democrática. 

Investimento em treinamento

O outro principal desafio é a necessidade de investir na criação de treinamentos e no desenvolvimento dos colaboradores. Isso demanda da empresa, um investimento financeiro, e, dos colaboradores, um investimento de tempo e interesse. 

Conflito de interesses

A democracia como forma de governança é uma ótima alternativa, mas existem diversos aspectos que são muito mais complexos, como a necessidade de ouvir vários lados e considerar diversas ideias e opiniões sobre determinados assuntos. Quando se trabalha com poucas possibilidades e ideias, há menor conflito. 

Exemplos de Gestão Democrática

Existem diversos exemplos práticos de gestão democrática, mas o principal, já citado neste artigo, é a implementação bem-sucedida no sistema educacional (principalmente privado) das instituições brasileiras. Confira abaixo um pouco mais sobre isso. 

Gestão de instituições educacionais

É bastante comum que as pessoas à frente de instituições educacionais não tenham grande conhecimento em gestão de alunos e pessoas, principalmente do desenvolvimento e aprendizado de uma criança ou jovem/adolescente. A participação de pais, responsáveis, professores e demais colaboradores visa uma melhoria estrutural da instituição e o sucesso discente.

Trazendo este exemplo para a realidade corporativa de uma maneira mais ampla, o envolvimento de indivíduos de diferentes setores em atividades conjuntas faz com que a empresa tenha participação coletiva em prol de obter bons resultados que agradem a maior parte dos envolvidos no processo. 

Desse modo, a gestão democrática se torna um pilar muito importante para estabelecer uma gestão de sucesso e, principalmente, coletiva. Por isso, fica aqui o convite para que você conheça o Lingopass, uma plataforma de capacitação multi-idioma e multicanal com foco no mercado corporativo e educacional. Disponível todos os dias de semana e 24 horas por dia, a plataforma une o melhor da pedagogia, do coaching e da tecnologia para oferecer diversos caminhos de aprendizagem que se moldam ao tipo de personalidade do aluno e resolvem as dificuldades de engajamento e conclusão de cursos. Para saber mais, clique aqui

Ver também:
20.9.23
Curso de Idiomas online: um benefício necessário para suas equipes.
22.9.22
Lingopass está na lista anual de 2022 da HolonIQ
30.6.23
BRITISH COUNCIL identifica que 5% dos brasileiros falam inglês e apenas 1% possui fluência
Faça Aulas gratuitas de conversação:
Sou Aluno
Seta apontando para a diagonal alta direita. Representando um link para outra página
lingonews
Receba novidades e conteúdos exclusivos em nossas newsletters.
Obrigado por se cadastrar!
Email inválido. Tente novamente ou use outro email.
Estamos na lista de 100 Startups to Watch, pela Pequenas Empresas e Grandes Negócios
Estamos na lista das 100 Latam EdTech mais promissoras de 2022 e 2023, pela HolonIQ
Acelerado por grandes parceiros:
©Lingopass - todos os direitos reservados. Termo de Uso e Política de Privacidade