por
Lingopass
30.1.2024

8 tendências que moldarão o setor bancário e financeiro em 2024

O início de 2024 levanta uma série de questionamentos sobre as perspectivas para o próximo ano, especialmente no setor de serviços financeiros, onde os avanços tecnológicos têm introduzido complexidades em um cenário já tumultuado. Enquanto as preocupações com as altas taxas de juros e a inflação são carregadas para o novo ano, as tendências no setor sinalizam grandes mudanças em tempo real. Manter-se atualizado sobre temas relacionados a serviços financeiros, abrangendo os setores bancário e de mercado de capitais, torna-se crucial.

No decorrer desse ano, a expectativa é que tecnologias emergentes, como automação e eficiência, assumam um papel proeminente. Apesar de a pandemia de Covid-19 ter ficado para trás, o ambiente de trabalho no setor de serviços financeiros permanece em um formato híbrido. As organizações continuam a investir em modelos de trabalho remoto e presencial, uma tendência que persistirá esse ano.

A inteligência artificial (IA) generativa emerge como a tendência mais impactante que permeia todo o setor de serviços financeiros em 2024. Desde a redefinição da experiência do cliente até a criação de ferramentas de gerenciamento de patrimônio, o setor está na vanguarda do enfrentamento do impacto duradouro que a IA terá sobre organizações e indivíduos. Este artigo analisará as tendências previstas para surgirem desses avanços tecnológicos significativos, além de abordar outras áreas, como sustentabilidade, segurança cibernética e o ressurgimento das criptomoedas.

1. IA Generativa

Em 2023, a IA generativa representou um dos maiores avanços tecnológicos, transformando significativamente o setor financeiro. Essa inovação é projetada para ganhar ainda mais destaque em 2024, influenciando áreas como fintech e a aplicação de IA generativa em chatbots por meio de tecnologias bancárias, como aplicativos e serviços financeiros online. O Bank of America, Itaú, BlackRock, Bradesco, Santander, Banco do Brasil e o Citigroup estão entre os principais participantes do setor de serviços financeiros e bancários que já lançaram ou anunciaram iniciativas relacionadas à IA generativa.

"O que a IA generativa está trazendo é um nível diferente de disrupção", disse o CIO do Itaú (ITUB4), Ricardo Guerra, durante painel do Febraban Tech, promovido pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban)

A capacidade da IA generativa de identificar tendências nos dados é particularmente destacada no setor de seguros, possibilitando a criação de produtos personalizados e avaliações de risco mais precisas, resultando em potencial redução de custos para os segurados.

2. Finanças sustentáveis

Um foco crescente em esforços de sustentabilidade e considerações ESG (ambientais, sociais e de governança) está moldando o setor de serviços bancários e financeiros em 2024. Instituições financeiras estão sendo incentivadas a apoiar iniciativas ecológicas, investindo em recursos renováveis, promovendo a reciclagem e reduzindo a pegada de carbono. Parcerias com produtos financeiros sustentáveis tornam-se mais atraentes para os provedores, alinhando-se à crescente conscientização dos clientes sobre o impacto ambiental de seus investimentos.

Um exemplo notável desse avanço é a iniciativa do Santander, ao estabelecer uma área dedicada ao "sustainable finance". O banco concentra esforços em operações de crédito sustentáveis, visando ultrapassar a marca de R$ 20 bilhões em negócios com atributos ambientais e sociais. Este movimento destaca não apenas a adesão à tendência sustentável, mas também o comprometimento ativo das instituições financeiras em contribuir para um futuro mais verde e socialmente responsável.

3. Gerenciamento de riscos de segurança cibernética

Os avanços na inteligência artificial apresentam desafios crescentes, especialmente no cenário dos riscos cibernéticos em constante evolução. Antecipando essa realidade, prevê-se um notável investimento em ferramentas e infraestrutura destinados a mitigar as ameaças emergentes. Nesse contexto, a detecção de fraudes ganha proeminência, à medida que instituições financeiras, incluindo o Banco do Brasil, incorporam inteligência artificial generativa em seus processos.

O Banco do Brasil adota uma abordagem proativa, centrada em programas de conscientização em segurança. Destacando-se nesse esforço está a implementação de ações institucionais que visam derrubar barreiras de comunicação e estabelecer um ambiente mais seguro. Um foco especial é dedicado à conscientização dos funcionários sobre o papel crucial da Segurança da Informação no funcionamento da organização e as responsabilidades individuais nesse trabalho colaborativo. Para facilitar essa intermediação, o banco conta com uma equipe de Cyber Champions, que atuam como embaixadores dedicados ao tema dentro da empresa.

“Nosso maior desafio é explicar ao funcionário de forma convincente porque isso é um assunto dele. Mas quando eles são convencidos, surge muita curiosidade em saber como podem contribuir mais conosco. Esse relacionamento os torna mais perceptivos tanto no ambiente corporativo como na vida pessoal”, afirma Átila Bandeira, Executivo de Cybersecurity do Banco do Brasil, em entrevista à Security Report no VMware Explore Brasil 2023.

8 tendências que moldarão o setor bancário e financeiro em 2024

por
Lingopass
30.1.2024
Tempo de leitura:
8 minutos

O início de 2024 levanta uma série de questionamentos sobre as perspectivas para o próximo ano, especialmente no setor de serviços financeiros, onde os avanços tecnológicos têm introduzido complexidades em um cenário já tumultuado. Enquanto as preocupações com as altas taxas de juros e a inflação são carregadas para o novo ano, as tendências no setor sinalizam grandes mudanças em tempo real. Manter-se atualizado sobre temas relacionados a serviços financeiros, abrangendo os setores bancário e de mercado de capitais, torna-se crucial.

No decorrer desse ano, a expectativa é que tecnologias emergentes, como automação e eficiência, assumam um papel proeminente. Apesar de a pandemia de Covid-19 ter ficado para trás, o ambiente de trabalho no setor de serviços financeiros permanece em um formato híbrido. As organizações continuam a investir em modelos de trabalho remoto e presencial, uma tendência que persistirá esse ano.

A inteligência artificial (IA) generativa emerge como a tendência mais impactante que permeia todo o setor de serviços financeiros em 2024. Desde a redefinição da experiência do cliente até a criação de ferramentas de gerenciamento de patrimônio, o setor está na vanguarda do enfrentamento do impacto duradouro que a IA terá sobre organizações e indivíduos. Este artigo analisará as tendências previstas para surgirem desses avanços tecnológicos significativos, além de abordar outras áreas, como sustentabilidade, segurança cibernética e o ressurgimento das criptomoedas.

1. IA Generativa

Em 2023, a IA generativa representou um dos maiores avanços tecnológicos, transformando significativamente o setor financeiro. Essa inovação é projetada para ganhar ainda mais destaque em 2024, influenciando áreas como fintech e a aplicação de IA generativa em chatbots por meio de tecnologias bancárias, como aplicativos e serviços financeiros online. O Bank of America, Itaú, BlackRock, Bradesco, Santander, Banco do Brasil e o Citigroup estão entre os principais participantes do setor de serviços financeiros e bancários que já lançaram ou anunciaram iniciativas relacionadas à IA generativa.

"O que a IA generativa está trazendo é um nível diferente de disrupção", disse o CIO do Itaú (ITUB4), Ricardo Guerra, durante painel do Febraban Tech, promovido pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban)

A capacidade da IA generativa de identificar tendências nos dados é particularmente destacada no setor de seguros, possibilitando a criação de produtos personalizados e avaliações de risco mais precisas, resultando em potencial redução de custos para os segurados.

2. Finanças sustentáveis

Um foco crescente em esforços de sustentabilidade e considerações ESG (ambientais, sociais e de governança) está moldando o setor de serviços bancários e financeiros em 2024. Instituições financeiras estão sendo incentivadas a apoiar iniciativas ecológicas, investindo em recursos renováveis, promovendo a reciclagem e reduzindo a pegada de carbono. Parcerias com produtos financeiros sustentáveis tornam-se mais atraentes para os provedores, alinhando-se à crescente conscientização dos clientes sobre o impacto ambiental de seus investimentos.

Um exemplo notável desse avanço é a iniciativa do Santander, ao estabelecer uma área dedicada ao "sustainable finance". O banco concentra esforços em operações de crédito sustentáveis, visando ultrapassar a marca de R$ 20 bilhões em negócios com atributos ambientais e sociais. Este movimento destaca não apenas a adesão à tendência sustentável, mas também o comprometimento ativo das instituições financeiras em contribuir para um futuro mais verde e socialmente responsável.

3. Gerenciamento de riscos de segurança cibernética

Os avanços na inteligência artificial apresentam desafios crescentes, especialmente no cenário dos riscos cibernéticos em constante evolução. Antecipando essa realidade, prevê-se um notável investimento em ferramentas e infraestrutura destinados a mitigar as ameaças emergentes. Nesse contexto, a detecção de fraudes ganha proeminência, à medida que instituições financeiras, incluindo o Banco do Brasil, incorporam inteligência artificial generativa em seus processos.

O Banco do Brasil adota uma abordagem proativa, centrada em programas de conscientização em segurança. Destacando-se nesse esforço está a implementação de ações institucionais que visam derrubar barreiras de comunicação e estabelecer um ambiente mais seguro. Um foco especial é dedicado à conscientização dos funcionários sobre o papel crucial da Segurança da Informação no funcionamento da organização e as responsabilidades individuais nesse trabalho colaborativo. Para facilitar essa intermediação, o banco conta com uma equipe de Cyber Champions, que atuam como embaixadores dedicados ao tema dentro da empresa.

“Nosso maior desafio é explicar ao funcionário de forma convincente porque isso é um assunto dele. Mas quando eles são convencidos, surge muita curiosidade em saber como podem contribuir mais conosco. Esse relacionamento os torna mais perceptivos tanto no ambiente corporativo como na vida pessoal”, afirma Átila Bandeira, Executivo de Cybersecurity do Banco do Brasil, em entrevista à Security Report no VMware Explore Brasil 2023.

4. Tecnologia de nuvem híbrida

Embora as inovações tecnológicas inspirem entusiasmo, também acarretam desafios, especialmente no âmbito das normas e conformidades. A adoção cada vez maior de tecnologias como a computação em nuvem é evidente, exemplificada pelo Banco Mercantil, com seus 80 anos de atuação no setor financeiro. No segundo semestre do ano passado, o banco estabeleceu uma parceria estratégica com o Google Cloud para a migração de sua infraestrutura de TI para a nuvem. Entretanto, é importante que as organizações estejam atentas às transformações digitais e integrações necessárias para sustentar o crescimento em um ambiente de nuvem híbrida. Questões pertinentes à privacidade e regulamentações de dados pessoais também exercerão influência significativa sobre os requisitos regulatórios dos serviços financeiros.

5. Criptomoedas e blockchain banking

O cenário financeiro de 2024 está marcado pelo ressurgimento das criptomoedas e pela crescente importância do blockchain no setor bancário e financeiro. Após um período de destaque da IA generativa, as criptomoedas estão retornando à cena, impulsionadas pela mudança para métodos bancários online e gerenciamento de ativos digitais.

A tecnologia blockchain, com previsão de gastos chegando a US$ 19 bilhões em 2024, está sendo adotada para além das moedas digitais, com destaque para a criação de contratos inteligentes, a simplificação de pagamentos, e a autenticação de transações. Pedro Lapenta, da Hashdex, destaca as vantagens para bancos, incluindo eficiência operacional, segurança por meio de integração de dados e criptografia, conformidade regulatória aprimorada, novos modelos de negócios como financiamento de ativos tokenizados, e a automação de operações financeiras tradicionais através de contratos inteligentes.

Apesar desses avanços, a adoção das criptomoedas pelos bancos ainda enfrenta obstáculos devido à complexidade operacional e burocracia existente nas instituições. Eduardo Carvalho, CEO e cofundador da Dynasty Global AG, observa que a adaptação a inovações demanda tempo e investimento, enquanto a segurança e a conformidade regulatória são cruciais para iniciar investimentos em pesquisa e desenvolvimento. A transformação do setor financeiro rumo à plena integração das criptomoedas e blockchain ainda requer superação desses desafios estruturais e regulatórios.

6. Open Banking

O open banking, que oferece acesso seguro aos dados financeiros do cliente, continuará a ganhar relevância em 2024. Os clientes buscarão maior controle sobre o acesso aos seus dados, e as APIs se consolidarão como o método preferido para conectar tecnologias aos sistemas internos dos bancos, simplificando processos e promovendo uma maior transparência.

7. Costumer Experience

Em 2024, a experiência do cliente (CX) será impulsionada pelo surgimento da tecnologia que permite que cada ponto de contato da jornada do cliente seja analisado para reduzir o atrito e aumentar a satisfação. Além disso, tecnologias novas e imersivas, como a RV, estão começando a oferecer maneiras novas e mais envolventes de interagirmos e nos envolvermos. Com a experiência do cliente desempenhando cada vez mais um papel importante nas decisões de compra, há claramente uma conexão direta entre a fidelidade do cliente e o sucesso do negócio, e mais empresas de serviços financeiros priorizarão a alavancagem disso em 2024.

8. Regtech

Regtech refere-se à integração da tecnologia em ferramentas projetadas para ajudar bancos e seguradoras a lidar com conformidade e regulamentação. Ela inclui o uso de ferramentas como IA, blockchain ou computação em nuvem para realizar tarefas de conformidade. Ela se tornará mais proeminente em 2024 devido à crescente complexidade e ao volume de requisitos regulatórios em serviços financeiros, especialmente regulamentos que envolvem dados pessoais e privacidade.

Essas tendências emergentes em serviços bancários e financeiros não apenas prometem uma jornada transformadora, mas também destacam o equilíbrio crítico entre inovação e responsabilidade, preparando o terreno para um futuro em que as finanças não sejam apenas mais eficientes e centradas no cliente, mas também mais éticas e inclusivas.

Em síntese, esse ano promete transformações significativas no setor de serviços financeiros, impulsionadas por avanços tecnológicos e mudanças nas expectativas dos clientes. O equilíbrio entre inovação e segurança, juntamente com um compromisso crescente com a sustentabilidade, moldará a paisagem financeira em constante evolução.

Ver também:
19.3.24
B3 lança IDIVERSA B3: Primeiro índice da América Latina focado em diversidade
9.1.24
Forbes World's Billionaire List: Confira os 15 executivos mais influentes do mundo!
1.3.24
Crescimento econômico brasileiro em 2024: Quais são as preocupações e desafios?
Faça Aulas gratuitas de conversação:
Sou Aluno
Seta apontando para a diagonal alta direita. Representando um link para outra página
lingonews
Receba novidades e conteúdos exclusivos em nossas newsletters.
Obrigado por se cadastrar!
Email inválido. Tente novamente ou use outro email.
Estamos na lista de 100 Startups to Watch, pela Pequenas Empresas e Grandes Negócios
Estamos na lista das 100 Latam EdTech mais promissoras de 2022 e 2023, pela HolonIQ
Acelerado por grandes parceiros:
©Lingopass - todos os direitos reservados. Termo de Uso e Política de Privacidade